C u s t o s

 

Confira abaixo trechos de um estudo detalhado e comparativo entre a Alvenaria Estrutural de Blocos de Concreto e o sistema tradicional em Concreto Armado.

 

FONTE: "ESTUDO COMPARATIVO DO USO DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCO DE CONCRETO SIMPLES EM RELAÇÃO AO SISTEMA ESTRUTURAL EM CONCRETO ARMADO". (JAN/2010)

AUTOR: Marcos Joaquim Gonçalves Fernandes  (Graduando em Engenharia Civil pela Universidade Católica do Salvador)

          Antonio Freitas Silva Filho  (Professor Antonio Freitas Silva Filho, é mestre em Engenharia Civil)

    O estudo será baseado em um edifício situado no conjunto habitacional denominado “Quinta da Glória”, na Bahia/BA. 

    A Obra escolhida foi um edifício que está sendo executado no bairro de Itinga, município de Lauro de Freitas, com 05 pavimentos residenciais, sendo 04 apartamentos por pavimento, totalizando 20 apartamentos por prédio e 1320 apartamentos em todo o conjunto habitacional. A referida obra possui 66 unidades, cada apartamento é constituído por 2 quartos, sala, cozinha e área de serviço, cada um com 38,20 m² de área construída, tendo nas suas unidades sistema estrutural e vedação de bloco de concreto; o edifício terá 2374,36 m² de paredes externas e internas que tem função estrutural e de vedação, a fundação é em concreto ciclópico e as lajes são pré-moldadas. E essa será a base de cálculo que será comparada com alvenaria convencional para sabermos a economia na estrutura do edifício.

Alvenaria Estrutural com Bloco de concreto

   Conforme projeto, a estrutura foi dimensionada utilizando-se blocos de concreto, com resistência mínima de 4,5 MPa, fundação em sapata corrida de concreto ciclópico. As lajes utilizadas são maciças e pré-fabricadas com 7 cm de espessura, as quais são montadas com a utilização de guindaste.

    Os blocos são fabricados no próprio canteiro de obra, onde ficam sete dias na cura e possuem resistência de 4,5 MPa. São utilizados seis tipos de blocos: 14x19x9cm, 14x19x19cm, 14x19x34cm, 14x19x39cm, 14x19x54cm e bloco calha 14x19x54cm. A amarração da alvenaria de vedação será feita com tela galvanizada de 1,5 mm de diâmetro com malha 15x15cm e comprimento de 25 cm colocadas à cada duas fiadas ,começando pela segunda fiada.A ultima fiada de cada pavimento será executada com bloco calha 14x19x54cm e preenchidos com concreto de 20 MPa e duas barras de aço com diâmetro de 6,3 mm.

    O empreendimento possui uma altura equivalente a 04 andares e foi escolhido por estar utilizando sistema construtivo de estrutura em alvenaria de bloco de concreto, que vem sendo utilizada com mais freqüência no Brasil.

    A tabela 1. mostra os custos de execução da fundação da Alvenaria estrutural do edifício em estudo. Foi considerada uma fundação em sapata corrida, possuindo uma base em concreto ciclópico com as dimensões variando entre 0,60x0,50m 0,60x0,60m e 0,60x0,90m.

   A tabela 2. Demonstra os custos de execução do pavimento de uma unidade da edificação estudada, utilizando o sistema estrutural mural. Foi utilizado para execução da alvenaria estrutural, blocos de concreto, possuindo dimensões de 14x19x9cm, 14x19x19cm, 14x19x34cm, 14x19x39cm, 14x19x54cm, com resistência 4,5 MPa . A cinta de travamento junto com as vergas e contra vergas foram executadas em blocos calha 14x19x54cm, as lajes utilizadas foram lajes pré-moldadas, sem armadura de continuidade, com espessura de 7 cm. O concreto utilizado foi de 25 MPa.

Estrutura em Concreto Armado

    A estrutura convencional de concreto armado foi dimensionada com a utilização do programa EBERICK V 5.0, aonde a estrutura foi analisada e dimensionada como um pórtico espacial. A estrutura foi lançada tendo como referência o projeto arquitetônico de uma unidade citado anteriormente. Foi utilizado espaço máximo entre os pilares de 5,0 m, as vigas com espessuras de 12 cm correspondentes ao bloco cerâmico de vedação utilizado usualmente.

    A fundação foi concebida em sapatas rasas, sendo mantido para as lajes o mesmo critério utilizado para alvenaria estrutura, laje maciça pré-fabricadas com espessura de 7,0 cm, sem armadura de continuidade.

    Baseado nessas informações foram elaboradas tabelas de custo da fundação e do pavimento tipo da estrutura em concreto armado.

    A tabela 3. Demonstra os custos de execução da fundação de uma unidade da mesma edificação, porém utilizando o método estrutural em concreto armado. Foi considerada fundação em sapata, com a base entre ( 95 e 140 cm) e largura variando entre (100 e 165 cm). Os pilares possuem seção de 20 x 20 cm e as vigas baldrames com seção de 12 x 40 cm. O concreto utilizado foi o mesmo da alvenaria estrutura (20 MPa).

    A tabela 4. Demonstra os custos da execução do pavimento tipo utilizando método estrutural em concreto armado. Na execução desse pavimento foram considerados os pilares com seção de 20 x 20 cm e vigas com seção de 12 x 40 cm, 12 x 55 cm e 15 x 50 cm. Os blocos considerados para execução da alvenaria de vedação foi o bloco cerâmico com 12 cm largura (tijolo baiano 11,5) e a laje de cobertura utilizada foi uma laje maciça possuindo espessura de 7 cm, pré- moldada e sem armadura de continuidade.

Análise do Custo Alvenaria estrutural x Concreto armado

    Comparando as tabelas 1 e 3, podemos observar que a fundação para estrutura em concreto armado para essa edificação apresentou um custo superior de 20,29% em relação à fundação para alvenaria estrutural.

    Comparando as tabelas 2 e 4, observamos para essa edificação, utilizando o método estrutural em concreto armado, apresentou um custo superior de aproximadamente 24,08% em relação ao pavimento tipo em alvenaria estrutural.   

    Comparando a fundação mais unidade de pavimento tipo, observamos que a estrutura em concreto armado apresentou um custo superior de aproximadamente 22,18% em relação ao sistema em alvenaria estrutural.

Considerações Finais

    Na construção civil, as empresas vêm buscando a redução dos gastos na hora de construir, embora necessitem manter a qualidade para atrair seus clientes. Com isso, buscam novas técnicas que facilitam o serviço e conseqüentemente diminuam as etapas necessárias para a conclusão do serviço, além de buscar a redução dos preços de materiais e mão-de-obra especializada.

    Através das revisões bibliográficas que foram feitas neste artigo, conclui-se que a utilização de novas técnicas para a construção devem ser adotadas pelas empresas que visam novos métodos para melhor desenvolver seus serviços tendo como objetivo um melhor desempenho nas suas atividades e satisfação, visando maior redução de gastos sem interferir na qualidade do empreendimento.

    Analisando os dados desta pesquisa podemos conclui-se que a utilização do sistema de alvenaria estrutural se mostrou bem eficaz em relação ao sistema estrutural em concreto armado, gerando uma redução de custo de aproximadamente 22,18% na estrutura, considerando somente os custos diretos. É importante observar também que os valores obtidos são referentes à edificação em estudo, sendo muito difícil uma generalização destes números para qualquer tipo de edificação.

    Embora o sistema de alvenaria estrutural tenha se mostrado competitivo diante do sistema estrutural em concreto armado, as empresas devem avaliar se o mercado ao qual se destina a edificação está receptivo para este tipo de sistema construtivo. Na cidade de Salvador, é comum observar que esse sistema tem sido aplicado na sua grande maioria em obras direcionadas a população de baixa renda e edificações de pequeno porte, até 4 pavimentos (térreo mais três).

    Diante de um mercado exigente, a redução obtida com o sistema de alvenaria estrutural possibilita ao empreendedor oferecer produtos mais atrativos financeiramente, beneficiando seus clientes e garantindo rentabilidade e sobrevivência da empresa no mercado da construção civil.

    A partir dos dados coletados e levantados com este estudo, conclui-se que o sistema construtivo de alvenaria estrutural pelo seu custo competitivo, deve ser mais explorado pelos construtores.

 

    O arquivo do texto original pode ser consultado em: http://info.ucsal.br/banmon/Arquivos/Art3_0075.pdf

 

Obs: Preços-base das Tabelas de JAN/2010.

    Variação do CUB/Sinduscon-Bahia no período: projeto padrão residencial - PP-4-N (prédio popular - 4 pavimentos - padrão normal)

    -> CUB JAN/2010 = R$ 1.003,17  /  CUB MAR/13 = R$ 1.222,51  (+21,86%)

 

REFERÊNCIAS:

• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. NBR 6136 - bloco vazado de concreto simples para alvenaria estrutura: novembro 1994, Rio de Janeiro.

• ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 7184 – Blocos vazados de concreto simples para alvenaria – Determinação da resistência à compressão: Rio de Janeiro, 1991.

• ARAÚJO, L.O. C; SOUZA, U.E.L. Produtividade da mão de obra na execução de alvenaria. Net, São Paulo, ago. 2001.

• BENEVOLO, Leonardo.História da Arquitetura Moderna. São Paulo, Perspectiva, 1976.

• CLÍMACO, J. C. T. S. - Estruturas de Concreto Armado. Fundamentos de Projeto, Dimensionamento e Verificação. UnB Editora, Brasília - DF, 2005.

• COSTA, Carlos Alberto. Competitividade sistêmica na construção civil. 2003. Dissertação (Pós-Graduação em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina.

• FERRARI. Ed Luiz. Contabilidade Geral: Teoria e 950 questões, Série Provas e Concursos. 3ª Edição. Editora Impetus – 2002

• MATOS, Hilton Manoel Couceiros. O uso da sílica ativa na fabricação de blocos de micro concreto. Salvador: Ucsal, 2009. Artigo Cientifico (Graduação em Engenharia Civil) Curso de Graduação em Engenharia Civil, Universidade Católica do Salvador 2009.

• PELLI, Victor Saúl. Notas para uma Tecnologia Apropriada à Construção na América Latina. Tecnologia e Arquitetura. São Paulo, Nobel, 1989.

• PIAGGIO, Nei Antonio de Jesus. Avaliação da resistência à compressão de blocos de concreto, estrtural e de vedação, em Salvador-Ba. Salvador: Ucsal, 2009.Artigo Cientifico (Graduação em Engenharia Civil) Curso de Graduação em Engenharia Civil, Universidade Católica do Salvador 2009.

PRISMA: Revista, soluções construtivas com blocos de concretol. São Paulo:. 6. Mar 2003.

PRISMA: Revista, soluções construtivas com blocos de concretol. São Paulo:. 8.Set 2003.

• PRUDÊNCIO, L.R.; OLVEIRA. L.; BEDIN, C.A. Alvenaria estrutural bloco de concreto. Florianópolis: Associação Brasileira de Cimento Portland, 2002.

•RACANICCHI, Roberto. Automatização gráfica e de procedimentos básicos para projetos de edifícios de alvenaria estrutural de blocos. São Paulo.Dissertação apresentada à Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, da Universidade Estadual Paulista, como parte dos requisitos para a obtenção do Título de Mestre em Engenharia Civil.

• RAMALHO & CORRÊA. Projeto de edifícios de alvenaria estrutural. São Paulo: Pini, 2003.

• SABATTINI, F.H. O processo construtivo de edifícios de alvenaria estrutural silicocalvacária. São Paulo 1954.Universidade do Estado de São Paulo.

• SILVA, Lívia Cristine Souza. A utilização do drywall como método de redução de cargas e custos em estrutura de concreto armado.Salvador: Ucsal, 2009. Artigo Cientifico (Graduação em Engenharia Civil) Curso de Graduação em Engenharia Civil, Universidade Católica do Salvador 2009.

TÉCHNE: revista do engenheiro civil. São Paulo: Ed. Pini, n. 75. 13 jun 2003.